2017

VARIAÇÕES À BEIRA DE UM LAGO

Sinopse:
Dois homens sentados num banco num parque, observam patos e falam sobre eles. Não sabem muito do assunto e rapidamente a conversa evolui para outros temas que os inquietam: a natureza, o amor, o sexo, a solidão, a vida e a morte. Usando a metáfora dos patos ultrapassam a falha de comunicação entre eles e a conversa flui, atingindo momentos de comicidade, que fazem desta peça “simples” de David Mamet, uma grande obra sobre a Condição Humana.

Ficha Artística
Texto: David Mamet; Tradução: Carlos Pimenta; Encenação: Jorge Silva; Interpretação: José Peixoto e Victor Santos; Cenografia e Figurinos: Teresa Varela; Música: Filipe Melo; Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos; Sonoplastia: Pedro Carvalho; Fotografia: José Frade; Design Gráfico: Rui A. Pereira; Assistência à Encenação: Estrela Cabral; Produção Executiva: Daniela Sampaio; Produção: Teatro dos Aloés

Apresentações
Teatro-Estúdio Ildefonso Valério– 20 e 22 de Janeiro de 2017

JULIETA

Sinopse:
Um Gongo soa no espaço vazio. A clown Carmen chega, decidida a tentar representar a personagem Julieta de William Shakespeare. Num conflito permanente com o Tempo, Carmen tem que decidir a cada momento se se deixa levar pelo que acontece, na relação directa que estabelece com o espectador, ou se conta a história que tem para contar, representa as cenas que preparou, ou a canção que quer muito cantar. Nem ela nem o público sabem o que vai acontecer, porque quando o gongo volta a soar, esteja onde estiver, o espectáculo termina, mesmo que seja a meio de uma frase, de um gesto…

Ficha artística:
Espectáculo de Mario Gonzalez a partir de Romeu e Julieta de William Shakespeare; Interpretação Elsa Valentim; Assistência de Encenação e Criação Nariz de Clown Nuno Pino Custódio; Figurinos Ana Brum Fotografia e Desenho de Luz João Rodrigues; Produção: ACT/Teatro dos Aloés/Tell to Joy

Apresentações

Recreios da Amadora – Dias 26 a 29 de Janeiro de 2017

Centro Cultural Gonçalves Sapinho – 30 de Abril de 2017

 

CASOS DO BECO DAS SARDINHEIRAS

Sinopse:

” (….) A gente que habita o Beco é como os demais, nem boa nem má. Tem sobre os outros lisboetas um apego ainda maior ao seu sitio e às suas coisas. Desde há muito tempo que não há memória de que algum dos do Beco tenha emigrado de livre vontade”.

Mário de Carvalho é um dos mais conceituados autores portugueses contemporâneos. As suas personagens parecem pedir-nos que lhes demos vida, não só na imaginação do leitor mas também em carne e osso. Em CASOS DO BECO DAS SARDINHEIRAS elas são simultaneamente reais e fantásticas, tão reais que acreditamos que nos podemos cruzar com elas ao virar de qualquer esquina em Alfama! Mas vivem todas num fantástico beco onde tudo é possível acontecer… desde o homem que num bocejo engole a lua; aos turistas que estando num bar do Cais do Sodré, sem saber como, vão parar ao marco do correio lá do Beco.

A forma como estas personagens vão aceitado este estranho quotidiano e simultaneamente o alimentam, tendo sempre como fundo a Lisboa dos bairros populares, dos eléctricos, das coscuvilhices entre vizinhos que, ora são uma família, ora estão às avessas, dá à obra uma qualidade teatral insuperável. Permite inúmeras camadas de leituras e de possibilidades: é uma reflexão social, política e é simultaneamente hilariante.

Ficha Artistica:
Texto: Mário de Carvalho; Encenação: Elsa Valentim; Interpretação: André Nunes, Elsa Valentim, Jorge Silva, José Peixoto + 4 actores por definir; Música: Miguel Tapadas; Figurinos e Concepção Video: Ana Rocha de Sousa; Cenografia, Desenho de Luz e Design Gráfico: João Rodrigues; Produção Executiva: Daniela Sampaio; Produção: Teatro dos Aloés

Apresentações

Cineteatro D. João V – Dias 18 e 19 de Fevereiro de 2017

 

AMOR DE DOM PERLIMPLIM COM BELISA EM SEU JARDIM

Sinopse:
Marcolfa, a criada, pretende casar o seu amo D. Perlimplim como a Mãe de Belisa se quer ver livre da filha, nasce assim um casamento de interesse. Belisa é nova, ardente e maliciosa, Perlimplim é um homem de idade mas inexperiente com as mulheres. O que tinha de acontecer acontece… A peça de Lorca, que no início se assemelha a uma comédia ao gosto popular, transforma-se progressivamente numa tragédia, quer no conteúdo, quer na forma. É a dificuldade de compreensão de dois mundos, o feminino e o masculino, que de maneira sintética e lúcida é aqui posta em relevo, num tom onde a poesia e a música são parte integrante da trama teatral. O talento de Garcia Lorca está patente na maneira como trata um tema simples e popular, através de uma forma poética que requer do espectador não apenas a passividade distanciada da acção, mas exige dele muita sensibilidade e disponibilidade, já que o tema é mais sugerido do que representado.

Ficha Artistica:
Texto: Federico Garcia Lorca Tradução: Eugénio de Andrade Encenação: Jorge Silva Interpretação: Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo, Teresa Faria Dramaturgia: José Peixoto Cenografia: Rui Francisco Figurinos: Maria Luiz Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos Selecção Musical, Ambiente Sonoro e Interpretação: Miguel Tapadas Fotografia: José Frade Design Gráfico: Rui A.Pereira Produção Executiva: Daniela Sampaio Produção: Teatro dos Aloés; M/12

Apresentações:

Recreios da Amadora – Dias 22 de Março a 9 de Abril de 2017

n’ A Moagem – Cidade do Engenho e das Arte no Fundão – Dias 21 e 22 de Abril de 2017

Cine-Teatro da Misericórdia na Chamusca – Dia 10 de Junho de 2017

Comments are closed

  • Subscreva a nossa Newsletter