2018

DONA ROSINHA, A SOLTEIRA ou A Linguagem das Flores

Sinopse

Rosinha é jovem e está apaixonada pelo primo, com quem vai casar. Vive numa casa de província com os Tios, por quem foi adotada. No entanto, os pais do noivo, por motivos de saúde, clamam a presença do amado, para que este os ajude na reabilitação de uma fazenda da família.

Com dor, Rosinha e o noivo despedem-se em promessa mútua de ser breve a separação. Rosinha fica a preparar o enxoval, enquanto vai aguardando as cartas do seu amor.Consulte aqui a nossa Agenda

Ficha Artística e Técnica

Autor: Federico Garcia Lorca
Encenação: Natália Luiza
Tradução baseada em Ruy Belo
Interpretação: Carla Chambel, Carolina Santarino*, Elsa Valentim, Filipa Matos Rosa*, Joana Flora*, Jorge Silva, José Peixoto, Mafalda Berenguer*, Mariana Branco de Sousa*, Raquel Oliveira, Rita Ramos Mendes*, Rosinda Costa, Susana Madeira, Tadeu Faustino, Vera Lagoa*
(*estagiárias ACT-Escola de Actores)

Espaço Cénico e Figurinos: Marta Carreiras
Música Original e Espaço Sonoro: Rui Rebelo
Desenho de Luz: Pedro Marques
Assistência de Encenação: Nuno Távora
Dir. Cena, Assistência de Cenografia e Montagem: Marco Fonseca
Assistência de Produção: Teatro Meridional Susana Monteiro
Produção Executiva – Teatro Meridional: Rita Conduto
Produção Executiva – Teatro dos Aloés: Daniela Sampaio
Assessoria Jurídica: Diogo Salema
Assessoria de Gestão: Mónica Almeida
Direcção Artística do Teatro Meridional: Miguel Seabra e Natália Luiza
Direcção Artística do Teatro dos Aloés: José Peixoto, Jorge Silva, Elsa Valentim

Co-produção Teatro Meridional e Teatro dos Aloés

Apresentações

Dias: 21 a 29 de Março de 2018 nos Recreios da Amadora;

Dias: 4 a 29 de Abril de 2018 no Teatro Meridional.

Quando vai Carmen fazer Lady Macbeth?

Sinopse

O público pediu mais histórias, Carmen pediu-nos mais espaço para as contar. Assim surge Quando vai Carmen fazer Lady Macbeth?
Carmen é uma Clown. Mas não é “mais uma” Clown, dado o seu bom nascimento e o que entretanto conquistou. Na verdade, a ideia de Carmen é muito simples e ao mesmo tempo extremamente complexa. Ela tem o sonho de fazer os papéis femininos mais famosos das peças de Shakespeare (como já foi o caso de Julieta) e acorda com o público só lhes retirar uma hora da sua atenção. Para isso, ela tem na equipa, um contra-regra, com a função específica de não tirar os olhos do relógio que está em cena e fazer imediatamente soar um gongue no último movimento acordado do ponteiro dos segundos. Não perdendo o facto de ser uma Clown, ela sela este contrato prometendo dar o seu máximo no cumprimento de todas os trechos e tarefas que afincadamente preparou para dar a mostrar. E como se trata mesmo de dar o máximo… não pode prometer mais do que não ser a entrega àquele momento. Ao momento em si dentro daquela sala. O que pode incluir os movimentos daquele espectador de bigode sentado na primeira fila ou aquela mosca que perpassa a cena em busca do calor dos projectores…

Ficha Artística e Técnica

Com Elsa Valentim, Direcção: Nuno Pino Custódio

Música: José Peixoto

Figurino: Rafaela Mapril

Concepção Plástica: João Rodrigues 

Produção Executiva: Daniela Sampaio

Produção: Teatro dos Aloés

Classificação Etária: M/14

Apresentações

Dias: 20 de Junho a 1 de Julho de 2017 nos Recreios da Amadora;

Dia: 29 de setembro 2018 no Teatro Estúdio Ildefonso Valério
(Alverca);

Dia: 16 de outubro de 2018 – Angra do Heroísmo.

TRISTEZAS E ALEGRIAS

Sinopse

Duas mulheres encontram-se numa velha casa de uma pequena aldeia do Karoo depois do funeral de David, o homem que ambas amaram. Uma é a sua esposa. A outra é mãe da sua filha. David, que fora levado ao exílio por causa do seu activismo político contra o apartheid, reaparece nas memórias das mulheres como que registadas a ferro. Durante uma tarde de verdade e reconciliação, os pactos de amor são dolorosamente marcados. O novo confronta-se com o velho e o que é a esperança para estas pessoas é a esperança para uma nova África do Sul. Feita de monólogos, memórias e desabafos que saltam do presente para o passado e que por vezes são só reflexões, produzem um teatro de uma convenção menos comum entre nós e que nos tocou profundamente e constitui um desafio para a cena e uma dádiva útil e emocionada para a sala.F

Ficha Artistica

Texto: Athol Fugard; Tradução: Graça Margarido e Mick Greer; Encenação: José Peixoto;

Interpretação: Ana Valentim; Elsa Valentim, Jorge Silva e Laurinda Chiungue
Cenografia: José Manuel Castanheira
Figurinos: Maria Luiz
Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos
Música: Miguel Tapadas
Fotografia: José Frade
Operação Técnica: Nuno Figueira
Design Gráfico: Rui Pereira

Produção Executiva: Daniela Sampaio

Produção: Teatro dos Aloés

Apresentações

Dias: 21 novembro a 1 de dezembro nos Recreios da Amadora;

Dias: 12 a 16 de dezembro no Teatro Meridional;

Dias: 11 e 12 de janeiro de 2019 no Auditório Fernando Lopes Graça (Almada).

Copyright ©️ Teatro dos Aloés, 2019 todos os direitos reservados | desenvolvido por MG AGENTIA