Brevemente

O Meu Pé de Laranja Lima

Viajamos com Zezé nas suas múltiplas aventuras, na comovente descoberta da ternura
através do seu amigo Portuga, mas também na descoberta da dor quando o amigo morre tragicamente, colhido por um comboio.

 

O valor da amizade, a capacidade da imaginação para superar as condições mais adversas, a defesa do amor e da ternura como armas para vencer o medo e a estreita ligação com a natureza, parecem-nos temas com capacidade para continuar a interessar e comover espectadores de diversas gerações. O texto alerta também para o lado sombrio da infância, muitas vezes esquecido diante da enorme quantidade de material que tem como tema a infância idealizada, numa sociedade urbana que fomenta essa visão.

 

O ator no lugar do contador de estórias que se deixa levar pelas personagens que evoca.

 

Resistimos à tentação de recriar as personagens e os lugares. Queremos contar esta história, evocar as personagens e os lugares, mas manter intacto o seu carácter narrativo — é um livro que está a ser lido, que quer ser lido, e como todo o bom contador de estórias, o narrador vai assumindo, aqui e ali, a voz e o carácter de uma e de outra personagem e porque já o repetiu vezes sem conta, sabe de cor aquelas palavras, ou seja, no coração.

 

Sendo um dos livros juvenis mais lidos desde há várias gerações, cada leitor guarda para si as imagens que a sua imaginação criou. Não queremos “perturbar” esse imaginário, mas sim evocar a vibração contida na narrativa e é essa vibração que é partilhada com o público.

 

Mas porque o fazemos no espaço mágico do teatro, e porque temos verdadeira paixão por esse espaço, não resistimos a evocá-lo e torná-lo também protagonista. É isto que temos para vos oferecer: um livro, atores apaixonados e um teatro.

 

Ficha Artística e Técnica:

Texto: José Mauro de Vasconcelos | Encenação: Elsa Valentim | Interpretação: Graciano Amorim, Jorge Silva, José Peixoto e Matilde Carvalho | Direção de Arte: João Rodrigues | Desenho de Luz: João Silva e Rafael Ribeiro |Música: Rui Rebelo | Animação: Patrícia Santos | Assistência de Encenação: Matilde Carvalho | Consultoria de Comunicação/Assessoria de Imprensa: Sofia Peralta | Direção de Produção: Daniela Sampaio | Operação Técnica: Rafael Ribeiro e Sandro Esperança | Produção: Teatro dos Aloés 2022 | M/12

 

 

 Informações e reservas (a partir de 5 de setembro): teatrodosaloes@sapo.pt/ 916 648 204

Curso 2022

As atividades formativas serão desenvolvidas através de exercícios referentes à integração de grupo, desinibição, descontração, coordenação psicofísica, exercícios de reeducação dos sentidos, desenvolvimento da observação, imaginação e criatividade.

O curso tem como objetivo dar a conhecer aos participantes noções básicas do exercício teatral e da profissão de ator. Tem uma componente teórica e uma prática e está dividido em três fases ao longo de 4 semanas.

Na primeira semana abordam-se temas como as origens do Teatro e a sua missão social; o funcionamento de uma estrutura profissional: a escolha do reportório, a equipa, as etapas do 1º ensaio ao dia da estreia; os termos técnicos e os equipamentos teatrais culminando com uma visita técnica ao palco dos Recreios da Amadora e exercício prático no palco. Na 2ª fase faz-se a exposição de algumas das diferentes técnicas de atuação: a influência de Stanislavski no chamado Método; Lee Strasberg, Stella Adler e Michael Chekhov bem como a metodologia de Manfred Wekwerth para a criação do espetáculo.

Nas duas últimas semanas faz-se um trabalho prático de construção de personagem partindo da metodologia de Manfred Wekwerth e utilizando cenas paradigmáticas da peça “Atores de boa fé de Marivaux”.

Informações e inscrições (a partir de 5 de setembro): teatrodosaloes@sapo.pt/ 916 648 204

AS PALAVRAS ESCONDIDAS

AS PALAVRAS ESCONDIDAS é um projeto de Intervenção social e artística, inspirado pelo projeto: “The me nobody knows – Children’s voices from the ghetto”, lançado pelo pedagogo Stephen M. Joseph, em Harlem, nos anos 60. Stephen encorajava crianças e jovens, em particular de contextos vulneráveis a escrever livremente, sobre ideias, temas e emoções que lhes eram urgentes e próximas. Partia da premissa de que a iliteracia entre contextos sociais e mais desfavorecidas, e em idade escolar, estava relacionada com a forma como as crianças viam a palavra e como esta lhes era apresentada: com excessiva preocupação com aspetos formais e estruturas rígidas, ou imposições de temas generalistas em contexto escolar, o que fazia com que estes aspetos se sobrepusessem à capacidade de usar as palavras no seu potencial de ligação emocional e crítica, afastando as crianças e jovens da vontade de se expressarem através da palavra.

AS PALAVRAS ESCONDIDAS propõe a Criação de um Espaço de Oficina de exploração da PALAVRA escrita e construção de Textos, com grupos de Crianças e Jovens, em Centros de Apoio Social (cooperando em parceria com Instituições de carácter Social) durante um período de tempo de 4/5 meses, de forma semanal regular em cada Instituição. (Se bem implementado e acompanhado, este pode ser um exercício replicado posteriormente dentro das Instituições que desejem manter a regularidade deste tipo de Ações no futuro.) Estas Oficinas procuram devolver o lugar da palavra, enquanto ferramenta de expressão, pensamento, discussão em grupos etários e sociais muitas vezes privados do estímulo sobre estas possibilidades, e a partir deste encontro reunir material que será usado como matéria-prima para a construção de um espetáculo. 

O Projeto, num segundo momento, consiste na Criação de um Espetáculo a partir das Palavras, Temas e Ideias das crianças e jovens. O espetáculo será interpretado por atores/bailarinos profissionais, através de uma abordagem multidisciplinar, e apresentado em Salas de Espetáculos e Programações de Serviços Educativos.

Ficha Artística e Técnica:

Criação e encenação do projeto: Ana Lázaro | Interpretação: Elsa Valentim; Jorge Silva; José Peixoto, Nelma Santos, Rita Lagarto e Rafael Barreto;

Estreia: 23 de novembro nos Recreios da Amadora.

Outras apresentações:

O Meu Pé e Laranja Lima – 7 de outubro de 2022 – Auditório Fernando Lopes-Graça (Fórum Romeu Correia – Almada).

Carmen´s Stories – 11 de novembro de 2022 – 27ª edição do FINTA – Festival Internacional de Teatro da ACERT.